Estudo sobre resultados Playoffs Copa Libertadores da América 

b98ba8-Copa Libertadores fotoEste estudo teve o objetivo efetuar um levantamento das frequências dos resultados e das maiores probabilidades dos times classificados em cada fase dos Playoffs da Copa Libertadores da América desde 2005, ano em que se iniciou a utilização do gol qualificado como desempate.
Para se chegar a uma análise mais completa foram avaliados os jogos e os resultados dos mandantes de primeiro e do segundo jogo e os respectivos vencedores de cada fase.

Nível de Satisfação dos Campeonatos Estaduais 2017

campeonatos-estaduaisO Grupo de Estudos e Pesquisa em Esportes (GEPE) realizou uma enquete sobre o Nível de Satisfação dos Campeonatos Estaduais 2017. Esta enquete tem o objetivo de informar aos profissionais e pesquisadores do segmento sobre as percepções do torcedor referente aos Campeonatos Estaduais, comparar como o desempenho do time no campeonato afeta o nível de satisfação do Campeonato, além de traçar um perfil demográfico dos respondentes.
A pesquisa foi efetuada após os términos dos campeonatos estaduais, na segunda semana de maio de 2017.

 

 

Caso “VIVO Fibra Internet”: A Transferência de Significado Cultural por meio do Skate e o Comportamento do Consumidor

caso_vivoEste artigo tem o objetivo de investigar de que modo a transferência de significado cultural ocorre quando uma empresa não esportiva utiliza o skate em um filme publicitário. As influências da utilização do skate na linguagem publicitária no comportamento de consumidores foram analisadas em seis categorias: admiração, desprezo, transferência de significado ao produto, dispersão, percepção e intenção de compra. Foram realizados, para a coleta de dados, dois grupos focais (praticantes e não praticantes da modalidade) com cinco participantes cada. Os resultados mostraram que houve mais semelhanças do que diferenças no comportamento dos consumidores e a intenção de compra foi clara na amostra dos praticantes.

Clique aqui para assistir o vídeo utilizado na coleta de dados: https://www.youtube.com/watch?v=3c8qHdccWGU

Autores: Lucas Reis e Ary Rocco


Quer ter acesso a mais pesquisas? Assine nossa newsletter e receba informações periodicamente.

MARKETING EMPREENDEDOR: CONTRIBUIÇÕES PARA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS LIGADAS AO ESPORTE

marketing_empreendedorO marketing é fundamentalmente o termo que define o conjunto de atividades que buscam facilitar e consumar relações de troca entre produtor e consumidor. No meio esportivo, o marketing é uma estratégia que utiliza o esporte para atingir suas metas. Muitas decisões relativas ao marketing são tomadas pelos empreendedores, e ao adotarem estratégias inovadoras. Neste caminho, como os profissionais que atuam no esporte devem se posicionar para perceber as possibilidades empreendedoras com inovações incrementais do marketing esportivo como possibilidade e meio para alcançar metas para uma organização esportiva? Como se dá a otimização e profissionalização do mercado esportivo para as MPME ligadas ao esporte? O marketing esportivo pode ser incrementado pelo marketing empreendedor (ME) nas MPME ligadas ao esporte? Para responder estas questões, o presente estudo objetivou analisar o referencial teórico sobre ME e identificar as possíveis contribuições para aplicabilidade nas MPME ligadas ao esporte. Trata-se de um estudo exploratório documental mediante uma análise científica sistematizada, procurando integrar a teoria do ME com o desenvolvimento de MPME ligadas ao esporte, apresentando uma visão sobre os possíveis processos e dinâmicas subjacentes às estratégias de marketing esportivo nas MPME, considerando o esporte como opção de investimento.

Autores: Leonardo Souza Santana e Edmilson de Oliveira Lima


Quer ter acesso a mais pesquisas? Assine nossa newsletter e receba informações periodicamente.

A Gestão do Esporte no Brasil

administracao-esportivaMuito se questiona a qualidade da gestão do esporte no Brasil. Em várias colunas em jornais e blogs especializados no esporte podemos perceber que há um senso comum de que é preciso profissionalizar e qualificar a gestão nas organizações esportivas brasileiras.

Quando se fala em profissionalização muitos acreditam que basta contratar uma série de especialistas do mercado e inseri-los em uma organização esportiva para que, num passe de mágica, as coisas entrem nos eixos. Essa medida não basta, pois, muito mais do que contratar profissionais, é necessário que a política que impera nas organizações esportivas seja colocada em segundo plano em detrimento da gestão profissional.

Portanto, o primeiro passo para que os gestores do esporte possam definitivamente gerir uma organização esportiva é que eles tenham um clima organizacional em que os interesses e relações políticas não sejam levado em conta nas decisões e rumos de um clube. O presidente estatutário precisa implementar esses conceitos, deixando as vaidades de lado e delegando a gestão para um profissional que tenha autonomia para implementar as estratégias definidas de curto, médio e longo prazo. Dessa forma, com metas claras e mensuráveis, será possível avaliar se o gestor esportivo está atingindo as metas e prazos pré-estabelecidos.

Sem essa visão é impossível de se avaliar com clareza se a organização esportiva está sendo bem gerida ou não. Não é profissionalismo avaliar um gestor apenas baseado nos resultados esportivos, que em muitas vezes acaba mascarando uma má gestão com vitórias nas quadras, campos, pistas de atletismo, ringues e tatames entre outros.

É de extrema importância para todos os que atuam no esporte exigir dos presidentes das organizações esportivas um clima organizacional onde a gestão impere em detrimento da política. Caso os resultados e objetivos não sejam atingidos, medidas corretivas devem ser tomadas, caso contrário, não é devido à mudança na presidência que os gestores corram riscos de serem desligados ou que a estratégia seja alterada por caprichos e interesses pessoais.

O Brasil precisa evoluir na forma de entender a gestão esportiva, pois, caso contrário, continuaremos com a visão do século passado em termos de entender como o esporte está inserido na sociedade. Atualmente o esporte não é apenas uma atividade esportiva, mas sim inserido na indústria do entretenimento, onde, para conseguir resultados positivos e lucrativos, criar um clima organizacional em que o profissionalismo impere é fundamental.

Por: Robson Guerreiro

PRIORIZAÇÃO DE STAKEHOLDERS EM PROJETOS ESPORTIVOS: ESTUDO DE CASO DE UMA INSTITUIÇÃO ESPORTIVA DO TERCEIRO SETOR

O termo stakeholder está muito presente nas atuais pesquisas sobre gestão, sua gênese se deu mais das questões sóciais do que da gestão propriamente dita. Uma das formas de gestão destes stakeholders está apoiada no conceito de priorização, sendo que uma destas formas está calcada no método de saliência apoiada no grau de importância dos stakeholders pela visão dos gestores, outra está apoiada na dominância dos stakeholders, que é a capacidade de atendimento das expectativas de um stakeholders com relação a outro. Esta pesquisa visa detectar a priorização dos stakeholders em uma instituição esportiva do terceiro setor, que aborda o esporte da perspectiva de participação. Foi adotado um método prioritariamente qualitativo, porém com uma parte de estatística descritiva dos dados coletados. Por meio da pesquisa pode ser detectado que o stakeholder prioritário foi o grupo de alunos do projeto, pois possuem os três atributos do modelo de saliência e tiveram as suas necessidades atendidas de forma mais ampla que dos outros, caracterizando assim uma dominância em relação a tais grupos ou indivíduos. Outro stakeholder que mereceu atenção foi o grupo de diretores (gestores) de escola. O estudo mostrou como limitação a diferença significativa na população de cada grupo de stakeholder, uma proposta para estudos futuros seria a aplicação deste estudo em outros tipos de instituições esportivas e também fazer a relação da modalidade esportiva com o stakeholder prioritário.
Palavras-chave: Stakeholders, priorização, gestão de stakeholders, saliência de stakeholders, dominância de stakeholders

Autor: Denis Pereira dos Santos

Quer ter acesso a mais pesquisas? Assine nossa newsletter e receba informações periodicamente.

A INFLUÊNCIA DAS ARENAS ESPORTIVAS NA CRIAÇÃO E SOBREVIVÊNCIA DE MICRO E PEQUENOS NEGÓCIOS

Oportunidades-de-Negócios-Para-a-Copa-do-Mundo-00O futebol é um esporte reconhecido no Brasil como fenômeno cultural e como um mobilizador da economia por influenciar diversos segmentos de negócio. Tendo em vista essa característica do esporte, este estudo teve por objetivo identificar a influência das arenas esportivas dos principais clubes de futebol do estado de São Paulo, na criação e sobrevivência de micro e pequenos negócios em seu entorno. As arenas pesquisadas foram: Arena Corinthians, Allianz Park, Estádio Cícero Pompeu de Toledo e Estádio Urbano Caldeira. A amostra foi composta por dez empreendedores, proprietários de micro e pequenas empresas instaladas no entorno dessas arenas e as entrevistas foram transcrita e categorizadas em famílias de respostas e analisadas conforme análise de conteúdo. O presente estudo identificou o contexto das arenas esportivas do estado de São Paulo como uma oportunidade empreendedora a ser explorada, sendo que as arenas influenciam tanto na criação quanto na sobrevivência das MPEs pesquisadas.
Palavras-chave: identificação de oportunidade, arenas esportivas, micro e pequenas empresas, empreendedores.

Autoras: Silvia Simoni Orlando e Vania Maria Jorge Nassif

Quer ter acesso a mais pesquisas? Assine nossa newsletter e receba informações periodicamente.

Os Jogos Olímpicos Rio de Janeiro 2016: uma análise sobre as possibilidades de legados e impactos econômicos

jogos-paralimpicos-2016-2O presente artigo visa efetuar uma análise sobre as possibilidades de legados e impactos econômicos na cidade do Rio Janeiro com a realização dos Jogos Olímpicos em 2016 desde o ano pré Jogos Olímpicos até o ano posterior aos Jogos. Utilizando a teoria de legados e impactos econômicos em megaeventos esportivos, aplicou-se uma análise qualitativa avaliando os dados econômicos nas últimas cidades-sede dos Jogos Olímpicos em termos de PIB, receitas com turismo e empregos gerados, comparando-os com os estudos sobre as perspectivas de impacto econômico na cidade do Rio de Janeiro no período anterior e posterior aos Jogos, visando especular sobre os possíveis legados e impactos econômicos para a cidade-sede. Os resultados mostram que existem boas possibilidades de um impacto econômico positivo no período pré Jogos até o ano posterior aos Jogos, mas existe uma grande dúvida sobre legados e impactos econômicos em um período mais longo, conforme encontrado na literatura.
Palavras Chave: Megaevento, Legado, Jogos Olímpicos

Autores: Marcelo Paciello e Yuri Spacov

Quer ter acesso a mais pesquisas? Assine nossa newsletter e receba informações periodicamente.